Arquivo de 05 / 2014

Moradores pedem fechamento de cadeia. Delegacia de Santo Antônio da Platina foi palco de duas rebeliões em 40 dias; comunidade reclama da falta se segurança

Escrito por Admin a 8 de maio de 2014

(da Folha de Londrina)

 

Gustavo Carneiro
Prejuízos do último motim, no início do mês, ainda não foram calculados; maioria dos detentos foi transferida para Londrina

Santo Antônio da Platina – Após a segunda rebelião em 40 dias, que ocorreu na noite de 1 de maio, a carceragem de Santo Antônio da Platina ficou toda destruída. Dos 52 presos abrigados no dia do motim, quando um agente permaneceu refém durante 7 horas, apenas 12 detentos permanecem no prédio – nove mulheres e três homens. Os prejuízos, considerados de grande porte pelo delegado Tristão Borborema de Carvalho, ainda não foram calculados. Também não há prazo para o início da reforma.

Entre tantas obras não concluídas, esta é uma que os moradores, principalmente os vizinhos à delegacia, não têm pressa nenhuma em ver terminar. A dona de casa Maria Luiza Teixeira dos Santos diz que mudou-se para a Vila Claro há menos de um mês, mas já cogita nova mudança se a situação continuar tensa. “A sensação de insegurança é constante. Aqui não é lugar para cadeia. Em vez de reformar, por que não constroem em outro lugar?”, questiona.

Laudicéia de Moraes, empregada doméstica de uma casa vizinha à delegacia, contou que estava sozinha na noite da rebelião. “Meu patrão me ligou, pediu para eu trancar a casa e sair correndo daqui. Toda vez que acontece uma rebelião é um trauma”, lamentou.

Com dificuldades para executar o plano de esvaziar as carceragens de delegacias do Paraná, a Secretaria de Estado de Justiça e Cidadania (Seju) informou, por meio da assessoria, que não descarta a volta de presos após a reforma na unidade. A secretaria, porém, não citou prazos.

A carceragem tem capacidade para 32 presos. Na primeira rebelião deste ano, no dia 23 de março, a cadeia abrigava quase 100 internos. Desta vez, de acordo com Carvalho, não havia a mesma superlotação. “O que ocorreu, na verdade, foram cenas de selvageria e ataque a policiais após uma tentativa frustrada de fuga. Não havia reivindicações consistentes”, contou.

Segundo o delegado, após a libertação do policial refém e da desgastante negociação com a Seju, 23 presos foram transferidos para a Casa de Custódia e Penitenciária Estadual de Londrina. Cinco detentos que estavam prestes a cumprir a pena foram colocados em liberdade pela juíza Maristella Andrade de Carvalho. Nenhum preso ficou ferido. O agente sofreu ferimentos leves e já está trabalhando.

Arquivado em Diversas

Comentários (0)

Ribeirão do Pinhal: Prefeito Dartagnan Calixto Fraiz (PSD) reverte condenação no TRE e preserva o mandato.

Escrito por Admin a 8 de maio de 2014

(da Gazeta do Povo)

TRE aceita recurso e prefeito segue no cargo em Ribeirão do Pinhal

Tribunal reverteu condenação ao entender que o gasto não comprovado de R$ 439 não foi capaz de gerar desequilíbrio na campanha eleitoral de 2012

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Paraná acatou, nesta terça-feira (6), o recurso que afasta a cassação de Dartagnan Calixto Fraiz (PSD) e Nadir Sara Melo Fraga Cunha (PMDB), prefeito e vice-prefeita de Ribeirão do Pinhal, no Norte Pioneiro do estado. Eles são acusados pelo Ministério Público do Paraná de captação ilícita de recursos financeiros para a campanha eleitoral de 2012 e haviam sido condenados em primeira instância.

A Corte do TRE entendeu que o valor de R$ 439 que os administradores do Executivo não conseguiram comprovar na prestação de contas não teria sido capaz de gerar um desequilíbrio econômico na campanha. O valor, que representa menos de 0,5% dos gastos da chapa na campanha, não poderia ter sido usado para compra de votos no município.

“Foi um erro contábil”, disse Fraiz. “Estou muito tranquilo em relação a minha postura durante a campanha”, garante o prefeito.

O Ministério Público Federal informou, por meio da assessoria de imprensa, que não vai comentar o caso, pois ainda não foi notificado da decisão.

Arquivado em Diversas

Comentários (0)

Prefeito de Loanda é preso por usar máquinas públicas no sítio dele

Escrito por Admin a 5 de maio de 2014

 

994d21e88ba23e1d398014618840837d886bc4e4

Do G1 PR:

O prefeito de Loanda, no norte do Paraná, Flávio Accorsi (PPS), foi preso na tarde deste sábado (3) por usar tratores e retroescavadeiras da prefeitura no sítio dele. Segundo a Polícia Civil, funcionários do município também trabalhavam na propriedade particular do prefeito. Sete deles estavam no local quando a polícia chegou.

Accorsi, de 78 anos, e os funcionários foram levados para a delegacia da cidade. Todos foram liberados depois de prestar depoimento, com exceção do prefeito, que permanecia detido até a noite deste sábado e será indiciado por uso indevido de serviços e bens do patrimônio público, de acordo com o delegado de Loanda, Luciano Purcini. Os advogados do prefeito não quiseram se pronunciar sobre o caso.

Imagens gravadas com um celular mostram o prefeito ameaçando policiais, ao ser abordado no sítio. “Não inventem coisas de mim. Na outra vez, eu já fiz isso e paguei do meu bolso. Se vocês fizerem uma besteiras dessas, vocês vão pagar caro”. O prefeito também ameaçou a pessoa que o filmava com uma enxada. “E você, gravou bem? Pode gravar”, diz, ironicamente, antes de levantar o objeto.

(domingo, 04 de maio)

Arquivado em Diversas

Comentários (0)

© 2017 - Blog do Cesar de Mello.