CURIÚVA: Condenado a 44 anos de prisão o “Assassino do Machado”. Foi dia 22 de novembro.2013.

O Tribunal do Júri de Curiúva acatou a denúncia do Ministério Público e condenou JOÃO DE PAULA – “vulgo João Mineiro”.

O bárbaro crime ocorreu em 27.03.2007 e ele esteve foragido desde então, sendo preso apenas fevereiro de 2012. A tese da defesa foi a de que João Mineiro é sonâmbulo e, nessa condição teria praticado os assassinatos. Segundo a defesa, em razão do sonambulismo o acusado seria inimputável, porque ele não teria consciência do que praticara. A acusação à cargo do Promotor de Justiça Juliano Marcondes Paganini rebateu a tese de defesa e o Júri considerou João Mineiro culpado. Ele continua preso e deverá cumprir sua pena em penitenciária. Após a decisão do Júri houve a aplicação da pena pelo Juiz MARCELO QUENTIN, que presidiu a sessão de julgamento.

Do face da Michele Bittar- o comentário:

O JÚRI do dia 22/11/2013 ficará impregnado na MEMÓRIA de todos os que ali estiveram, CADA DETALHE VIVIDO POR MIM, me levou a REFLETIR NA TRINDADE DIVINA, quando ouvi o DR. Samuel Rangel fiquei ENCANTADA com a DESENVOLTURA ao desenrolar os fatos que se seguiram, ELE exerceu naquele momento a função do nosso MESTRE JESUS CRISTO AO ADVOGAR NOSSAS CAUSAS JUNTO A DEUS, pois sendo a HUMANIDADE podre em seus delitos e pecados, ainda assim JESUS NOS olha com um AMOR INENARRÁVEL e JUNTO A DEUS ADVOGA POR MISERICÓRDIA, ( O ATO JULGADO NAQUELE MOMENTO ERA DE UMA PODRIDÃO BERRANTE, NADA AOS OLHOS HUMANOS “JUSTIFICA” O “ATO” PRATICADO, POR SER MACABRO DEMAIS” E UM “ATO” COMO O QUE FOI COMETIDO, SÓ PODE VIR DE UM SER, CHAMADO “SATANÁS” AQUELE MESMO, QUE JESUS DISSE QUE VEIO PARA MATAR, ROUBAR E DESTRUIR )…mas infelizmente a HUMANIDADE que JESUS tanto ama, se deixa ser INDUZIDA POR SATANÁS por permitir que o ÓDIO, MÁGOA, DISSABORES do dia a dia cresçam no coração, e exteriorize das PIORES FORMAS e que sai totalmente do PODER DE ENTENDIMENTO do ser humano… CADA DETALHE VIVIDO NESSE “JURI” me levou a REFLETIR sobre as funções do PAI, DO FILHO E DO ESPIRITO SANTO no que TANGE a defender, absolver e trazer a LUZ da VERDADE e convencer o “homem do seus pecados”… pude refletir LITERALMENTE naquele momento, qual o PAPEL DE SATANÁS AO SE REFERIR A HUMANIDADE,o papel dele é acusar, acusar, condenar, lançar e tentar convencer JESUS que o HOMEM não tem VALOR e merece apenas o INFERNO… Não consegui encarar como REINO FÍSICO ESSE JURI, minhas mente ficou VOLTADA para o REINO ESPIRITUAL, e como doeu VER E SENTIR o que satanás faz com o “SER HUMANO” e queridos amigos, digo-lhes que é bem MELHOR SEGUIR AS PEGADAS DE JESUS CRISTO, pois o INIMIGO DAS NOSSAS ALMAS não brinca de ser o que É, nós é que nos esquecemos do poder de DESTRUIÇÃO QUE ele carrega nas mãos… PORTANTO PASSOU DA HORA DE ACORDAR E COMEÇAR A LEVAR MAIS A SÉRIO OS MANDAMENTOS DO ETERNO, PARA QUE POSSAMOS receber sobre nós A GRAÇA QUE É O FAVOR IMERECIDO NO NOSSO AMADO DEUS…

………………………..

Relembre o caso: (16.02.2012)

JOÃO DE PAULA – “VULGO JOÃO MINEIRO” foi preso ontem (14.02.2012), em Araraquara SP.

Encontra-se recolhido à cadeia Pública de Curiúva PR., o autor do assassinato de duas pessoas e da tentativa de outros dois assassinatos. Trata-se de JOÃO DE PAULA – “vulgo João Mineiro”. O bárbaro crime ocorreu em 27.03.2007 e ele estava foragido desde então.

JOÃO MINEIRO assassinou a sua companheira Marinéia Ferreira da Silva e o filho (dela)  Zidnei Silva Vieira, que contava com 7 anos de idade. Também foram vítimadas as filhas  Edinéia Silva de Oliveira, 17 anos e Giszaine Silva de Oliveira, 15 anos (todos enteados de João Mineiro). As vítimas foram atacadas por João Mineiro enquanto dormiam. Ele utilizou um machado para a prática criminosa. Sobreviveram as filhas Edinéia e Giszaine, porque João Mineiro pensou que estavam mortas. Elas acabaram socorridas por terceiros e ficaram longo período hospitalizadas, face a gravidade dos ferimentos.

Na época a polícia mobilizou cerca de 100 policiais para a prisão, mas João Mineiro conseguiu evadir-se. Através do serviço de inteligência da Polícia ele foi localizado em Araraquara SP., e foi preso pelo investigador da Polícia Civil do Paraná, Madalin Weigert Sobrinho, em cumprimento a mandado de prisão expedido pela Justiça da Comarca de Curiúva.

A prisão foi resultado de uma operação conjunta entre as Polícias Civil de Araraquara e do Paraná. De acordo com o investigador do caso, o homem morava em Araraquara há dois anos com a família de seu primeiro casamento. O Delegado de Polícia Rony, da Delegacia de Curiúva informou que João Mineiro trabalhava como carpinteiro e foi preso em casa, no Jardim Acapulco (Araçatuba SP). Ele irá a júri popular.

O site oficial do Ministério Público do Paraná noticiou:

CURIÚVA – Autor de duplo homicídio é condenado a 44 anos de reclusão
O Tribunal do Júri da Comarca de Curiúva, no Norte Pioneiro do estado,
condenou a 44 anos de reclusão um homem acusado de matar, a machadas, a
mulher e o filho de 7 anos de idade – além de tentar assassinar as
filhas de 11 e 14 anos. O julgamento ocorreu no dia 22 de novembro e foi
presidido pelo juiz Marcelo Quentin.

O crime aconteceu no dia 27 de março de 2007. Segundo a denúncia, o réu
se prevaleceu do fato de sua família estar dormindo e atingiu as vítimas
a golpes de machado. A motivação seria ciúmes em relação à companheira.
O réu também não aceitava a separação desejada por ela.

No decorrer das investigações, foi requerida, pelo Ministério Público, a
exumação dos cadáveres das vítimas, devidamente realizada em 18 de
julho 2007. O réu teve sua prisão preventiva decretada em 29 de março de
2007, mas apenas foi localizado em 15 de março 2012, no interior de São
Paulo, sendo preso pela equipe das Polícias Civil e Militar de Curiúva.
Até então, o curso do processo e do prazo prescricional estavam
paralisados, pela não localização do acusado para citação.

Segundo o promotor Juliano Marcondes Paganini, que trabalhou no caso, em
plenário, a acusação pediu a condenação do réu pela prática de dois
homicídios duplamente qualificados (contra sua companheira e filho
desta) e duas tentativas de homicídio triplamente qualificadas (contra
as duas filhas de sua companheira). Já a defesa alegou a tese de
sonambulismo do acusado, para postular a sua absolvição. Após longa
série de votações, acolhendo todos os pedidos formulados pelo Ministério
Público, os jurados decidiram pela condenação do réu pela prática dos
quatro crimes, acrescidos de um total de 10 (dez) qualificadoras
postuladas na acusação.

O condenado terá direito a reivindicar a progressão de regime observando
o cumprimento de 1/6 (um sexto) de pena em cada regime, uma vez que os
delitos foram praticados antes da promulgação da Lei 11.464, que,
alterou a Lei dos Crimes Hediondos (Lei 8.072/90), passando a
condicionar a progressão de regime ao cumprimento de 2/5 (dois quintos)
da pena para crimes desta natureza.

Arquivado em Diversas

Deixe um Comentário!

Por favor, digite os caracteres desta imagem na caixa de entrada

Digite os caracteres da imagem no campo acima

© 2017 - Blog do Cesar de Mello.